Mídia

Procurando alguma matéria ou assunto específico?

Wrap Up Semanal

Wrap Up Semanal

Brasil

Fuga desordenada ou afastamento desorientado

A equipe econômica do Brasil sofreu mais 2 baixas. Na última terça feira (11), o ministro da Economia, Paulo Guedes informou sobre os pedidos de demissão dos secretários especiais de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel e de Desestatização e Privatização, Salim Mattar.

Para Uebel, a gota d’água teria sido a decisão do Presidente da República de adiamento da reforma administrativa. Já para Mattar, segundo o próprio Guedes a saída se deu pela insatisfação com o andamento das privatizações.

“Se me perguntarem se houve uma debandada hoje (11), houve”, disse Guedes a jornalistas, depois de se reunir com o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ.

Em julho a equipe Econômica sofreu outra perda importante, Mansueto Almeida (ex-secretário do tesouro nacional) um dos maiores defensores do ajuste fiscal, além de ser muito bem visto pelo mercado financeiro.

Mesmo com todas essas baixas, Marcelo Guaranys, considerado o número 2 do Ministério da Economia, disse que apesar dos atuais acontecimentos, Paulo Guedes irá permanecer no cargo. Segundo entrevista do Jornal O Globo, a equipe econômica está empenhada em respeitar o equilíbrio fiscal.
 

Contrato Intermitente, a nova forma de enxergar a contratação

Não era de se imaginar que 2020 seria um ano de muitas mudanças econômicas e sociais. Do dia para a noite, populações, chefes de estados, líderes mundiais e nações acionaram o toque de recolher para um vírus que até então era desconhecido. Meses se passaram, e a economia foi mostrando sinais vermelho. A saída encontrada para empresas e empreendedores foi a adoção do “contrato intermitente”, para mitigar riscos e contribuir para que o sistema continuasse ativo e não gerasse uma avalanche ainda maior de números de demissões. Essa categoria se diferencia da contratação com vínculo empregatício (“CLT comum”), pois o contratado trabalhará por hora ou por “empreitada”, por um período determinado em seu contrato.

No primeiro semestre de 2020, o Brasil encolheu cerca de 1.2 milhões de empregos tradicionais, ou seja, aqueles com carteira assinada. Especialistas do setor acreditam que os números apenas não foram maiores, porque empresas e empresários, na necessidade de se adaptarem a esta nova realidade econômica, aderiram ao contrato intermitente. Ainda mais, esta modalidade proporciona aos empregadores uma maior flexibilidade e um custo menor com funcionários, permitindo assim, que as empresas sigam operando e não fechem suas portas.

Segundo os próprios dados do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), a economia enxergou um avanço nesta modalidade principalmente para as atividades consideradas essenciais, tais como: repositor de mercadorias, faxineiros, orientador educacional, servente de obras, armazenista, embalador a mão e alimentador de linha de produção. A exceção foi no mês de abril, quando o número de trabalhadores intermitentes ficou negativo em 2.9 mil vagas fechadas; enquanto o contrato por vínculo empregatício registrou uma perda ainda maior de 918.3 mil postos de trabalho. Para o mês seguinte, o número de contrato intermitente voltou a crescer, com cerca de 2.2 mil novas vagas e a contratação CLT continuou decrescendo.

 

Logo, visando a uma melhora da economia para os próximos meses ou até mesmo para 2021, quando se espera que o país apresente um PIB de 3.5% versus um recuo de cerca de 6.5% para 2020, os contratos intermitentes estão alinhados com esse novo cenário econômico e atendem as mudanças necessárias que as empresas vem enfrentando como a redução de custos, trabalho remoto e maior autonomia ao funcionário para garantir que empregados continuem desenvolvendo a empregabilidade para que todos juntos possam superar este novo normal.

 

Agronegócio: a máquina que engrandece a economia a cada dia

Diante do momento atual e, em especial, para a situação brasileira, o agronegócio se mostrou ser um setor inovador, bastante flexível à mudança e em contínuo crescimento. Segundo o levantamento da CONAB (Companhia Nacional de Abastecimento), a safra de agosto bateu recorde em 253.7 milhões de toneladas. Quando comparado com a projeção do mês de julho, a safra já é superior em 2.3 milhões. O próprio ministro da economia, Paulo Guedes, afirmou que o país só não foi mais impactado devido a força do agronegócio. Em suas palavras o ministro disse: “o povo do campo é tão forte que remanejamos as vendas para a Ásia” e a safra de soja e milho apresentaram números brilhantes.

Visando a expansão deste setor, o secretário de Assuntos Internacionais do Ministério da Agricultura, Orlando Leite Ribeiro, relatou que há um interesse em fortalecer ainda mais o setor com a implementação de uma tarifa zero para as importações de etanol americano. Porém, em contrapartida, é exigido que os americanos passem a não taxar o açúcar brasileiro exportado para o seu país. Caso este cenário se concretize, o país terá um impacto ainda mais positivo frente ao agronegócio global e se fortalecerá competitivamente.

A produção de etanol em solos americanos se dá preferencialmente pelo milho, enquanto no Brasil, o destaque é por meio da cana de açúcar embora a extração através do milho venha crescendo. A cana também é bem utilizada para a obtenção do açúcar. No final deste mês se encerra o prazo para que os americanos possam vender 750 milhões de litros por ano de etanol para o Brasil com tarifa zero.

Em um cenário com juros baixos e dólar alto, empresas exportadoras podem apresentar um aumento de valor, uma vez que ao ganharem receitas em dólar frente a um real desvalorizado, há um espaço para apresentarem bons resultados financeiros e investirem com um custo menor visando fortalecimento operacional e melhor qualidade nos produtos entregues ao mercado.

Internacional

 

Tiktok é obrigado a vender atividades nos EUA

O aplicativo foi acusado de roubo de dados por Trump. O presidente vinha fazendo ameaças ao bloqueio da rede social no país há algum tempo; sem provas concretas, a medida entra para a conta das sanções comerciais entre Estados Unidos e China. Além do Tiktok, o aplicativo de conversas, WeChat, também foi proibido. As empresas terão que iniciar processos de transação de suas atividades para o domínio dos Estados Unidos, além de comprovar que apagaram todos os dados de usuários americanos.

A Microsoft tem interesse em absorver as atividades do Tiktok em uma transação bilionária. Após o decreto assinado por Trump, a empresa tem 90 dias para realizar a venda. Atualmente, cerca de 100 milhões de americanos são usuários da rede social e a transação está avaliada em um valor entre 10 e 30 bilhões de dólares. O tamanho e influência do Tiktok para o público americano levantou a atenção da gigante de tecnologia, Microsoft, que já está em negociação com a ByteDance, detentora do aplicativo.

 

Autocrata de Belarus pede apoio a Putin

O presidente, reeleito com 80% dos votos, está sofrendo com retaliação da população. A reeleição de Alexander Lukashenko, no poder desde 1994, foi considerada fraudulenta. O considerado autocrata estava em disputa pela presidência de Belarus contra Svetlana Tikhanovskaya, que recebeu apenas 10% dos votos nas contagens oficiais. A concorrente levantou uma onda de manifestações contra Lukashenko, denominada “revolução colorida”.

Após uma onda de violência em Belarus, o presidente recorre ao apoio de Putin. Os protestantes bielorrussos foram fortemente reprimidos nos últimos protestos, o que aumentou ainda mais a tensão dentro do país. Neste cenário, Lukashenko fez uma ligação para o presidente russo que, aparentemente, irá ajudar a controlar a situação.

Principais índices financeiros


Bolsa

O principal índice da bolsa de valores brasileira encerrou a sexta-feira aos 101.353 pontos, o que representou perdas de 2,02% no acumulado semanal.  Os últimos dias foram marcados por tensão no mercado financeiro, dado a saída de mais dois secretários da equipe econômica deixando seus cargos, reclamando do governo.

O mercado teme que uma hora ou outra o Ministro da Economia, Paulo Guedes, possa deixar seu cargo também, o que também colocaria em pauta a manutenção da agenda liberal do governo. Também gerou volatilidade nos mercados, a fala do Presidente da República, Jair Bolsonaro, indicando um possível furo no teto de gastos do governo. No entanto, na sexta-feira, Bolsonaro desmentiu suas declarações.

 

 

Dólar

Ao longo da semana, o dólar perdeu forças no mundo todos, pois nos Estados Unidos, republicanos e democratas não entram em um acordo por novos estímulos contra a pandemia no país norte-americano. Depois de forte volatilidade aqui no país, ao dólar comercial fechou a semana praticamente estável, alta de 0,27%, sendo cotado aos R$ 5,43.

 

 

 

 

QUERO SABER MAIS SOBRE INVESTIMENTOS